Novo ensino médio: entenda os itinerários formativos - Intersaberes

Blog

Novo ensino médio: entenda os itinerários formativos

25 de junho de 2021


O novo ensino médio tem 2022 como prazo máximo para sua plena implementação a nível nacional. O principal objetivo da reelaboração curricular é romper com as altas taxas de evasão escolar, a atual não-personalização do ensino e o consequente desengajamento dos estudantes. Diante de mudanças tão expressivas, as unidades escolares agora se encontram em período de intensa transição.

Leia também: Novo ensino médio – o que muda?

Expansão da carga horária de 800 para 1.000 horas anuais, grade curricular dividida por áreas do conhecimento, incorporação de iniciativas profissionalizantes. Dentre as várias novidades propostas pelo novo ensino médio, os itinerários formativos talvez sejam a que mais despertou dúvidas entre professores e instituições de ensino. O que são, como elaborá-los, como ofertá-los aos alunos – esclareça, a seguir, todas as questões relacionadas aos itinerários formativos:

O QUE SÃO OS ITINERÁRIOS FORMATIVOS

No novo ensino médio, a grade curricular é dividida em duas frentes: a Formação Geral Básica (FGB, representada pelas quatro grandes áreas do conhecimento) e os itinerários formativos. Enquanto a FGB é obrigatória a todos os estudantes, os itinerários formativos representam a parte flexível e personalizável do currículo. São conjuntos de disciplinas, projetos, oficinas, núcleos de estudos que contextualizam os aprendizados teóricos aos objetivos acadêmicos e profissionais dos alunos. Ocupam cerca de 1.200 horas da carga total do novo ensino médio (3.000 horas) e possibilitam aprofundamento nas áreas em que cada aluno demonstra maior interesse.

Leia também: Entenda as mudanças na BNCC para o Novo Ensino Médio

TIPOS DE ITINERÁRIOS FORMATIVOS

Foram delineados três tipos de itinerários formativos para o novo ensino médio de 2022. O primeiro é vinculado à área do conhecimento, promovendo experiências que aprofundam a aprendizagem em Matemática e suas Tecnologias, Linguagens e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias ou Ciências Humanas e Sociais Aplicadas. O segundo é voltado à formação profissional e técnica, promovendo atuações experimentais e habilitação profissional inicial dentro da carga horária do ensino médio. O terceiro é o itinerário integrado, que pode correlacionar diferentes áreas do conhecimento com aprofundamentos tanto acadêmicos quanto técnicos.

OS QUATRO EIXOS ESTRUTURANTES

Existem quatro eixos estruturantes sobre os quais os itinerários formativos devem ser elaborados. O eixo da Investigação Científica promove a formação por meio da ciência e suas metodologias. O eixo do Empreendedorismo fornece experiências que elevam a confiança e a competência no desenvolvimento de projetos pessoais. O eixo de Processos Criativos foca na criação e desenvolvimento de projetos vinculados à criatividade e elementos subjetivos. Por fim, o eixo de Mediação e Intervenção Sociocultural busca mobilizar projetos que incentivem a participação na vida pública.

ELABORAÇÃO DOS ITINERÁRIOS FORMATIVOS

Baseando-se nestes três tipos e quatro eixos estruturantes, cada escola deve elaborar seus próprios itinerários formativos em esforço coletivo. No processo de elaboração, a instituição deve considerar sua realidade e estrutura para oferecer itinerários viáveis tanto aos alunos quanto aos gestores. É importante lembrar que os itinerários formativos devem ser escolhidos pelos alunos pelo critério de maior consonância com seus planos profissionais e acadêmicos. Portanto, itinerários formativos que contemplem uma grande diversidade de frentes oferecem à instituição a oportunidade de assessorar uma grande variedade de perfis de aluno. 

PROTAGONISMO NO PROJETO DE VIDA

O objetivo por trás da incorporação de itinerários formativos no novo ensino médio é fomentar o protagonismo estudantil na resolução de seus projetos de vida. É romper com o antigo modelo que equipara sujeitos distintos e permitir que cada um acolha e desenvolva seus próprios interesses e aptidões. Para isso, o professor atua como orientador do aluno na definição de seus objetivos acadêmicos, profissionais, pessoais e enquanto cidadão.

Leia também: Novo ensino médio – o que deve mudar na capacitação de professores?

FORMAÇÃO PROFISSIONAL E TÉCNICA

Outro benefício dos itinerários formativos aos alunos está na possibilidade de uma formação técnico-profissional incluída na carga horária prevista para o ensino médio. No atual modelo, muitos estudantes têm sua entrada no mercado de trabalho prejudicada por não conseguir conciliar a carga horária escolar com a profissionalizante. O novo ensino médio chega para suavizar os percalços da transformação do jovem estudante em um profissional competente.

O futuro da educação está batendo na porta das instituições de ensino brasileiras. Seus alunos merecem um novo ensino médio que entregue formação personalizada e uma melhor inserção no mercado de trabalho. Assine nossa newsletter e acompanhe as novidades da Intersaberes sobre o novo ensino médio em primeira mão. 

Deixe seu comentário