MEC anuncia novo cronograma para o novo ensino médio - Intersaberes

Blog

MEC anuncia novo cronograma para o novo ensino médio

31 de agosto de 2021


O Brasil encontra-se às vésperas de uma grande transformação na estrutura da educação básica. Em resposta às altas taxas de evasão e à desconexão entre o currículo escolar e as exigências do mercado, o novo ensino médio está prestes a ser implementado. Escolas públicas e privadas encontram-se em intensa adaptação para viabilizar a nova proposta curricular e o cronograma estabelecido pelo MEC para o início de 2022.

Leia também: Novo ensino médio – como implementar?

Gestores de instituições de ensino devem se manter atualizados sobre o novo cronograma disponibilizado pelo MEC, que estende o período de transição entre modelos. Desta forma, é possível aprofundar o planejamento e a capacitação de docentes para entregar todo o potencial do novo ensino médio aos jovens em formação.

Leia também: Novo ensino médio – o que deve mudar na capacitação de professores?

CRONOGRAMA DE TRANSIÇÃO

A transição para o novo ensino médio está em debate pelo Ministério da Educação desde 2017, e deve começar a ser efetivado já em 2022. Entretanto, o MEC divulgou um novo cronograma que separa a transição em etapas, para melhor organização das instituições.

De acordo com o recente cronograma, todas as escolas brasileiras devem implementar o currículo do novo ensino médio nas turmas de 1º ano (EM), em 2022. A previsão é que a transição contemple as turmas de 2º ano (EM) em 2023, e que abranja os três anos de ensino médio em sua totalidade até 2024. A intenção do MEC é que, em 2024, o Enem (Exame Nacional do Ensino Médio) já esteja atualizado às novas diretrizes da Base Nacional Curricular Comum (BNCC).

Leia também: Entenda as mudanças na BNCC para o novo ensino médio

O QUE MUDA NO NOVO ENSINO MÉDIO?

Para comportar a nova estrutura curricular, a primeira mudança do novo ensino médio está na carga horária. As 800 horas anuais atuais (que totalizam 2.400 horas formativas) serão expandidas para 1.000 horas anuais (logo, 3.000 horas totais, ao fim dos três anos). Do montante total, 1.800 horas devem ser destinadas à formação geral básica – que também passará por reformulações – , e o restante será aplicado nos itinerários formativos.

Leia também: Novo ensino médio – entenda os itinerário formativos

A formação geral básica deixa de ser dividida por matérias e passa a se estruturar sobre as quatro principais áreas do conhecimento (como no Enem): Linguagens e suas Tecnologias; Matemática e suas Tecnologias, Ciências da Natureza e suas Tecnologias; Ciências Humanas e Sociais Aplicadas.

Os itinerários formativos, por sua vez, são o diferencial do novo ensino médio para personalizar a formação de acordo com as áreas de interesse de cada aluno, incentivando o protagonismo juvenil. São conjuntos de disciplinas, projetos, oficinas e núcleos de estudo em áreas específicas, que também podem incluir formação técnica para aproximar o estudante do mercado de trabalho. 

Para adaptar a escola ao novo ensino médio de forma responsável e compromissada com a qualidade da educação, é preciso estratégia e conhecimento. Preserve a credibilidade da sua instituição contando com quem atua há mais de 15 anos no mercado educacional! A Intersaberes, especializada em conteúdos de excelência, agora desenvolve soluções modernas para implementação do novo ensino médio. Assine nossa newsletter para receber as novidades em primeira mão.

Deixe seu comentário